Vitor Pereira Jr
Contos, Crônicas e Versos
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Meu Diário
09/09/2017 20h18
Um texto só de vogais

     A todos os lusófonos amantes da literatura e aos amantes de brincar com seu idioma em geral, apresento a seguir este texto, o único da língua portuguesa escrito só com vogais, e que contém ainda a maior frase da língua portuguesa escrita só com vogais. Após o texto há uma nota explicativa, pois muitas palavras não são de uso comum. Eis o texto:

— Eia, iaiá!

— Oi, ioiô! E aí?

— Iaiá, ó a aiôuea aí.

— É. Ao Aoí a aiôuea.

— Aê, iaiá, o Aoí ia a Uauá, ao Oio, a Oiã, ou a Aião?

— Ai, ai! O Aoí ia a Uauá, ô. O Aoá ia a Oiã e a Aião. Aoí é uaiuai e iaô, aí ia a Uauá, ué.

— E a Aião?

— O iaô uaiuai Aoí ia a Uauá e a Aião.

— O Aoí é iaô, é?

— É, uai. E Oiá é a aia.

— É? Uau! E o Aoá?

— Ui...! Aoá é auê.

— Ei! E eu, Iaiá?

— Uai! O ioiô é o ó!...

— Ê, iaiá...!

— Ê, ioiô...!

 

NOTAS:

 

GLOSSÁRIO:

Aiôuea: gênero de planta no Brasil

Aoí: nome bíblico (Cf. 1 Cron 11)

Uauá: município na Bahia

Oio: região na Guiné-Bissau

Oiã: região em Portugal

Aião: região em Portugal

Aoá: nome bíblico (Cf. 1 Cron 8 e 2 Samuel 23: 9)

Uaiuai: etnia indígena do Brasil

Iaô: em religiões afrobrasileiras, é o filho-de-santo já iniciado

Oiá: Orixá dos ventos e raios, também conhecida como Iansã

Aia: tutora

Auê: (gíria) confusão, bagunça

Ó: expressão popular do nordeste do Brasil, diminutiva de “Ó do Borogodó”, e expressa sentimento superlativo de uma qualidade.

 

VERSÃO COMPARATIVA:

      A princípio, o texto acima, só de vogais, pode parecer bastante estranho devido ao pouco uso e ao regionalismo de certas palavras. Mas permitam-me ainda escrever o mesmo texto, só que com palavras conhecidas. O leitor se certificará de que, após esta comparação, o apresentado texto de vogais fica perfeitamente inteligível. Eis uma versão que substitui as palavras acima usadas:

— Eia, Maria!

— Oi, João! E aí?

— Maria, olha a hortelã aí.

— É. Ao Pedro a hortelã.

— Aê, Maria, o Pedro ia a Aracaju, à Paraíba, a Terezina, ou a Belém?

— Ai, ai! O Pedro ia a Aracaju, ô. O José ia a Terezina e a Belém. Pedro é paraense e seminarista, aí ia a Terezina, ué.

— E a Belém?

— O seminarista paraense Pedro ia a Terezina e a Belém.

— O Pedro é seminarista, é?

— É, uai. E Santa Efigênia é a padroeira.

— É? Uau! E o José?

— Ui...! José é confusão.

— Ei! E eu, Maria?

— Uai! O João é o máximo da confusão!...

— Ê, Maria...!

— Ê, João...!


Publicado por Vitor Pereira Jr em 09/09/2017 às 20h18
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras