Vitor Pereira Jr
Contos, Crônicas e Versos
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Meu Diário
03/06/2018 18h46
A primeira transmissão de V

     Tão válido há quase quarenta anos quanto o é hoje...

 

     “Imagino que você esteja se perguntando por que foi chamado aqui esta noite.

     Sabe, não estou inteiramente satisfeito com seu desempenho nos últimos tempos. Receio que seu trabalho tenha decaído muito e, bem, estamos pensando seriamente em demitir você.

     (...)

     Bem, para ser franco, nós andamos tendo problemas. Não se pode fechar os olhos para isso. E sabe onde eu acho que a maioria deles se origina? Na sua indisposição natural para subir dentro da empresa. Você não quer encarar responsabilidades verdadeiras. Nem ser seu próprio chefe. Deus sabe quantas oportunidades já teve. Várias vezes nós lhe oferecemos promoções, e você sempre recusou: ‘Isso é muito pra mim, chefia. Eu conheço meu lugar’. Para ser franco, você nunca nem tentou.

     Sabe, como não progride há muito tempo, isso já começa a afetar seu trabalho, e devo acrescentar, seu padrão de comportamento também. Os constantes desentendimentos na fábrica não escaparam à minha atenção, nem os surtos de desordem na cantina dos funcionários.

     (...)

     E não adiante culpar a Gerência pela queda nos padrões de trabalho, embora eu saiba que ela deixa muito a desejar. Na verdade, sem papas na língua, a Gerência é deplorável. Nós tivemos uma sucessão de malversadores, larápios e lunáticos tomando um sem-número de decisões catastróficas. Isso é inegável. Mas quem os elegeu? Você! Você indicou essas pessoas. Você deu a eles o poder para tomarem decisões em seu lugar!

     Claro que qualquer um está sujeito a se equivocar, mas cometer os mesmos erros fatais, século após século, parece uma atitude deliberada. Você encorajou esses incompetentes, que transformaram sua vida profissional num inferno. Aceitou suas ordens insensatas sem questionar. Sempre permitiu que enchessem seu espaço de trabalho com máquinas perigosas.

     Você podia ter detido essa gente. Bastava dizer ‘Não’.

     (...)

     Isso é tudo. Pode voltar ao trabalho”.

 

     (Alan Moore e David Lloyd, em V de Vingança, 1982)


Publicado por Vitor Pereira Jr em 03/06/2018 às 18h46
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras