Vitor Pereira Jr
Contos, Crônicas e Versos
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

A última carta
Oi, amor.
     Juro que esta será a última carta que escrevo para você. Vou me casar na semana que vem, e por isso decidi que não seria justo com nenhum de nós que eu permaneça com essa vontade de te ver de novo. Você sabe que eu ainda te amo, mas não posso mais continuar pensando em ter você de volta.
     Você deve achar que só mesmo alguém fora do normal continuaria te procurando só para voltar a falar de um relacionamento do passado. Bem, ambos sabemos que eu não nunca fui normal mesmo, nem você, então talvez esta busca não-normal seja normal para nós. O fato é que, mesmo após todos esses anos, eu ainda penso em falar com você sobre coisas que não disse antes. E por que eu penso assim? Bem, se essa é a única vida que temos, seria um grande desperdício do pouco tempo que dispomos nesse mundo para não falarmos para as pessoas que foram importantes em nossas vidas o quanto somos gratos por elas terem existido. E você foi importante para mim, muito mesmo, e por isso venho lhe procurar para dizer que nem tudo o que eu deveria ter dito para você foi dito, então eu estava lhe devendo isso, dizer as coisas boas que faltaram dizer, como se o mundo fosse acabar amanhã, então precisasse urgentemente fazer as pazes com você e, principalmente, comigo mesma.
     Durante esses anos todos, eu ainda penso no tempo em que passamos juntos, mas saiba que eu não encaro isso como algo ruim. Eu gosto de pensar no tempo em que passamos juntos como se fosse um presente recebido. E se tudo pelo qual passamos fez parte de nossas vidas, por que deveríamos esquecer o que formou nossas vidas, o que fez parte de nós? Eu me lembro de tantas coisas até hoje. Das músicas por exemplo. Eu me lembro de “Thank you for loving me” do Bon Jovi, e do quanto eu sou grata até hoje por você ter me amado um dia. Era a nossa música. Também me lembro de “Só hoje”, do Jota Quest, e do quanto eu precisava ouvir qualquer frase exagerada sua que me fizesse sentir alegria de estar viva. E, no fim, quando não podíamos mais ficar juntos, “Onde está meu amor”, do RPM, terminou sendo a nossa música.
     Lembro-me de cada momento. Lembro-me de quando fingia que a impressora havia ficado sem papel só para ir até o seu setor e admirar sua pele cor de jambo e os seus lindos olhos de esmeralda. Lembro-me de quando você se declarou para mim no Natal, e quando começamos a namorar na sua república. Lembro-me das (deliciosas) ideias que tínhamos quando seus colegas saíam. Lembro-me do passeio no bosque do seu bairro e do quanto foi inesquecível termos saído da trilha. Eu me lembro de cada dia com você. Quase todos os dias. Uns momentos foram de tirar o fôlego, outros foram de fazer chorar até dormir. Para os momentos bons eu só tenho a agradecer a você por tê-los gravado em minha vida. Para os momentos ruins eu só peço o seu perdão, e espero que eu também me perdoe por não ter sido boa o suficiente para ter lhe dado tudo o que você precisava. Peço perdão por ter desperdiçado a chance de ter sido uma pessoa melhor para você e ter dado tudo de bom que você merecia. Talvez meus abraços, minhas dedicações de amor, minhas cartas, minha paciência, não tenham sido suficientes. Mas nós éramos dois jovens, e fizemos tudo o que sabíamos. Hoje, se eu pudesse voltar no tempo, eu ainda assim me declararia para você de novo e lutaria por você de novo, só para ouvir você dizer “eu te amo” pela primeira vez na sua vida, só para você se apaixonar pela primeira vez de novo, e só para ter uma segunda chance de fazer as coisas direito, como você merecia.
     Meu amor, você também foi o primeiro cara pelo qual eu me apaixonei e amei. O primeiro garoto para o qual eu disse “eu te amo”. Adorei cada segundo juntos, e quem pode dizer que se recorda de cada segundo? Você me mostrou um mundo novo. Aprendi muita coisa com você. Na verdade, a vida sempre nos ensina lições, então a melhor coisa que devemos ser de volta é sermos bons aprendizes. Você me ensinou muitas coisas sobre como ser tratada e não ser tratada por um homem, e também me ensinou muitas verdades sobre mim mesma, e até hoje levo este aprendizado comigo como um guia. Por isso, amando ou odiando nossa relação, eu não trocaria a experiência que tivemos por nada no mundo. Obrigada por tudo. Obrigada por você ter existido em minha vida. Obrigada por ter me amado, mesmo odiando ter me amado, às vezes. Obrigada, obrigada mesmo. Você merece receber esta gratidão, merece saber disso, do quanto foi importante na vida de alguém, e saber quem você foi de verdade. Nunca se esqueça de quem você foi, e do quanto é importante neste mundo amar uma pessoa e ser amada de volta. Espero que, mesmo se nunca mais nos encontrarmos, ainda possamos levar as nossas boas lembranças conosco onde estivermos ou com quem estivermos. E também desejo mesmo que você esteja feliz. Você merece muito mesmo todo o amor do mundo. São meus sinceros desejos, de quem um dia se apaixonou por você, e muito o amou, e que ainda se preocupa se você está bem. Saiba que eu sou muito grata por ter tido sorte a ponto de ter enxergado além dos seus lindos olhos verdes e ter conhecido quem você é, ter tocado seus sentimentos, sua alma, enquanto a maioria das pessoas não fazia a remota ideia de quão bom você era. Obrigada pela oportunidade de poder enxergar você de verdade todos os dias, e, mesmo pelo pouco tempo em que estivemos juntos, nós dois vimos quão bom e cheio de amor nós podemos ser nesta vida. Nunca me esquecerei das coisas boas que você fez e do quão bom e amoroso você conseguiu ser.
     Eu prometo que tentarei ter a melhor vida que eu puder ter. Aliás, você me fez prometer isso, lembra? Gostaria que um dia você respondesse esta carta, e também todas as outras que escrevi. Então, prometa que aonde quer que você esteja, procure ser feliz e encontre um novo amor, para que possamos ser livres e seguir adiante.  
     Junto com esta carta deixo esta rosa branca de despedida. Espero que aprecie o perfume.
     Agora, adeus, querido. Minha vida deve continuar e eu devo ser forte, mesmo sem você, como já conversamos antes. Descanse em paz, e que o papai do céu tenha feito de você o anjo de verdade que você sempre mereceu. Sinto saudades. Sempre sentirei. Mas você me ensinou a amar, mesmo sem você, e levarei o amor comigo. Obrigada. E adeus, adeus.
     Beijos sinceros, de sua sempre amada.

Vitor Pereira Jr
Enviado por Vitor Pereira Jr em 16/01/2016
Alterado em 06/09/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras