Vitor Pereira Jr
Contos, Crônicas e Versos
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


TOP 10 – MELHORES TEMAS MUSICAIS DE DESENHOS ANIMADOS



Em 1928, Walt Disney lançava o primeiro desenho animado com som, “Willie do Barco a Vapor”. Desde então, os desenhistas têm usado da criatividade para sincronizar trechos de músicas clássicas e populares aos mais variados temas de suas narrativas, deixando para nós uma lista de desenhos animados inesquecíveis. Qual tema musical de desenho animado é o seu preferido? Em comemoração aos 90 anos dos desenhos animados com som, preparei uma lista com minhas preferências, meu TOP 10 com os melhores temas musicais de desenhos animados, considerando cada composição no quanto ela é recorrente em desenhos, por quanto tempo ela foi usada, e o quanto ela é versátil em diferentes temas. Confira agora este TOP 10.


#10 BEETHOVEN E CHAVES
Começando a lista, temos aqui uma melodia que conhecemos por ter sido usada na abertura do seriado Chaves. O nome dela é “Um elefante nunca esquece”, uma versão eletrônica que o compositor Jean-Jacques Perrey deu em 1970 para a “Marcha Turca”, composta em 1811 por Ludwig van Beethoven. Por ser mais conhecida pela versão do tema de abertura de Chaves e ter sido pouco usada nos desenhos animados, apesar de alegre, e de ser Beethoven, ela fica na décima posição.

Para ouvir a versão “Um elefante nunca esquece”, de Jean-Jacques Perrey:
https://www.youtube.com/watch?v=pOu1BvuhtRw 

E aqui está a “Marcha turca”, de Beethoven, tocada por Tom & Jerry:
https://www.youtube.com/watch?v=1d0tujch3Mk


#9 DANÇA MEXICANA
Falando em Chaves, pense na cultura mexicana e logo teremos maricahis tocando “Jarabe tapatío”. Conhecida como a dança do chapéu mexicano, sua melodia remonta a festas populares do Século XIX. Sua versão atual ficou imortalizada pelo compositor mexicano Jesús González Rubio em 1924, e, desde então, é tocada em desenhos animados e filmes como tema musical do México ou caso apareçam mariachis em alguma cena. Limitada ao tema mexicano, permanece divertida e popular, mas fica com o nono lugar.

Aqui você confere a versão de Jesús González Rubio para o “Jarabe tapatío”:
https://www.youtube.com/watch?v=3-IR4S25iQw


#8 CANÇÃO DE NINAR
Não. Não estamos falando do Pica-Pau cantando “Dorme Filhinho”, versão da cantiga inglesa do Século XVIII “Rock-a-bye Baby”, mas sim do tema para alguém adormecendo ou dormindo e que é marca carimbada em vários desenhos animados, além de marcar presença nas coletâneas de músicas para bebês. Estamos falando de “Guten Abend, gut’ Nacht” mais conhecida como “A canção de ninar de Brahms”, composta pelo alemão Johannes Brahms em 1868. Desde então, qualquer criança merece dormir ao som dela. Mais recorrente que a posição anterior, Brahms fica com o oitavo lugar.

Para ouvir a “A canção de ninar de Brahms”:
https://www.youtube.com/watch?v=BmKee0qAex8


#7 FOLCLORE NORUEGUÊS
A sétima posição desta lista fica com Edvard Grieg, o compositor responsável por musicar em 1876 a peça de teatro “Peer Gynt”, baseada no folclore norueguês. Das mais de vinte sinfonias compostas para a peça, duas em especial ficaram conhecidas nos desenhos animados: “In the hall of the mountain king” (Na gruta do rei da montanha), do segundo ato, usada nos desenhos para momentos sorrateiros ou de sortilégios, e “Morning mood” (Humor matinal), prelúdio do quarto ato, usada em cenas que representam um lento amanhecer glorioso.

Destaque:
Tanto “In the hall of the mountain king” quanto “Morning mood” foram melodias muito utilizadas nas animações da Warner. Mas foi “In the hall of the mountain king” que ganhou dezenas de versões até mesmo em bandas de rock e videogames. A abertura do desenho animado do Sonic, de 1993, é composta por intercalações de “In the hall of the mountain king” com outra música, o “Voo do besouro”, de Nikolai Rimsky-Korsakov, que não está nesta lista. Pela recorrência de “Morning mood” em vários desenhos e pela influência de “In the hall of the mountain king” até fora das telas, o folclore nórdico de Edvard Grieg fica na sétima posição.

Para ouvir “Morning mood”:
https://www.youtube.com/watch?v=-rh8gMvzPw0

Para ouvir “In the hall of the Mountain King”:
https://www.youtube.com/watch?v=kLp_Hh6DKWc


#6 SOBRE AS ONDAS
Mais uma contribuição mexicana em nossa lista. Imagine um desenho animado se equilibrando em uma corda bamba ou equilibrando algo muito difícil. Certamente estará tocando a mundialmente famosa “Sobre as ondas”, valsa composta em 1888 pelo mexicano Juventino Rosas.

Destaque
Como podemos nos esquecer do Pateta se exercitando ao som de “Sobre as ondas” em “Ginástica patética”, de 1949, ou como nos esquecer do Pica-Pau cantarolando “Sobre as ondas” enquanto se prepara para descer as Cataratas do Niágara em um barril, em “Vamos às cataratas”, de 1956? É por todos esses momentos inesquecíveis ao som de “Sobre as ondas” que ela quase alcançou o TOP 5 desta lista.

Aqui você confere o episódio do Pica-Pau “Vamos às cataratas”, de 1956:
https://www.youtube.com/watch?v=3asSnl14_OY

Aqui você confere “Sobre as ondas”, de Juventino Rosas:
https://www.youtube.com/watch?v=N2YvhEv7ykM


#5 A CAVALARIA LIGEIRA
Pensou em cavalos correndo, pensou na inconfundível “Abertura da Cavalaria Ligeira”, composta pelo austríaco Franz von Suppé em 1866. Vários trechos desta obra de pouco menos de sete minutos foram largamente utilizados em desenhos animados, e por isso ela merece entrar no TOP 5 desta lista.

Destaque
A Disney sempre fez mais do que apenas colar trechos de músicas clássicas em suas cenas. Em “A hora da sinfonia”, de 1942, Mickey, Donald e Pateta não só tocam a “Abertura da Cavalaria Ligeira”, mas quase vão à loucura tentando tocá-la na segunda apresentação mesmo quando os instrumentos não são mais o que eram antes graças aos infortúnios do Pateta. E você pensava que Mickey jamais usaria de violência...!

Para conferir a “Abertura da Cavalaria Ligeira” no divertidíssimo episódio “A hora da sinfonia”:
https://www.youtube.com/watch?v=1X8tP4W4ZfM

Para ouvir a versão completa de Franz von Suppé:
https://www.youtube.com/watch?v=aF5nhMIyeqI


#4 O BARBEIRO DE SEVILHA
Quem nunca associou uma ida ao cabeleireiro ao refrão “Fígaro” (que significa, claro, barbeiro), da ária “Largo al factotum” (Abram caminho ao faz-tudo, em tradução livre), da ópera “O barbeiro de Sevilha”? A ópera caiu no gosto popular e muito se deve por esta ária cantada logo no início. Composta pelo italiano Gioacchino Rossini para a ópera “O barbeiro de Sevilha”, de 1816, conseguimos lembrar de vários personagens de desenho dando uma de barbeiro.

Destaque
O Pernalonga tem uma versão mais completa, mas quem merece a melhor performance é o Pica-Pau, que está mais louco do que nunca ao emprestar sua voz esganiçada – interpretada enquanto canta por Lee Sweetland – de um jeito hilário e inesquecível, com direito àquela risada característica ao final da cantoria. Por nos trazer momentos memoráveis e hilários em desenhos animados, “O barbeiro de Sevilha” fica com o quarto lugar.

Aqui você confere a famosa e louca cena do Pica-Pau, do episódio “O barbeiro de Sevilha”, de 1944:
https://www.youtube.com/watch?v=NR_IeTnMYwo

E aqui, o “Largo al factotum” interpretado em ópera:
https://www.youtube.com/watch?v=jyiLscCyJ98


#3 O CARROSSEL QUEBRADO
Se o inesquecível “Barbeiro de Sevilha” quase fica com o terceiro lugar por nos levar a momentos dos mais hilários dos desenhos animados, a medalha de bronze é para a maior marca que um desenho animado já recebeu. Talvez você não esteja ligando os pontos, mas “The Merry-Go-Round Broke Down” (O carrossel quebrou, em tradução livre), música composta pelos americanos Cliff Friend e Dave Franklin em 1937, ficou mundialmente conhecida quando a Warner Bros a adaptou como o tema musical de abertura e de encerramento dos desenhos Looney Tunes. Só de ouvir a melodia, qualquer um sabe que se trata de um desenho dos Looney Tunes, e, por isso, um desenho que tem sua própria música tema merecia seu lugar no pódio. Por causa desta adaptação da Warner, nem mesmo uma música clássica conseguiu influenciar toda uma época como “The Merry-Go-Round Broke Down”, que acompanhou as aberturas e os encerramentos dos Looney Tunes por mais de trinta anos.

Destaque
Outro grande motivo deste terceiro lugar é que “The Merry-Go-Round Broke Down” faz parte da infância de todo brasileiro até fora dos desenhos animados! Você já ouviu e cantou dezenas de vezes a melodia de “The Merry-Go-Round Broke Down” quando era criança e nem percebeu porque é a melodia escondida em “O sapo não lava o pé” e em “A galinha pintadinha e o galo carijó”! Agora que você sabe, nunca mais cantará “O sapo não lava o pé” da mesma forma.

Aqui você pode conferir “The Merry-Go-Round Broke Down” adaptada para o tema musical de dos Looney Tunes, tanto na abertura quanto no famoso encerramento “That´s all Folks!”:
https://www.youtube.com/watch?v=XwiQVKOrejo

E aqui você pode ouvir “The Merry-Go-Round Broke Down” cantada originalmente:
https://www.youtube.com/watch?v=kbp9WXQjZy8

E aqui está “The Merry-Go-Round Broke Down”, escondida esse tempo todo em “O sapo não lava o pé”, e em “A galinha pintadinha e o galo carijó”:
https://www.youtube.com/watch?v=lRBfxIB767E
https://www.youtube.com/watch?v=PshSqsGVAi0


#2 RAPSÓDIA HÚNGARA Nº2
Nosso segundo lugar não poderia ser nada menos do que a música mais recorrente nos desenhos animados quando o personagem resolve tocar piano. Só poderíamos estar falando da “Rapsódia Húngara Nº 2”, composta por Franz Liszt em 1847. Com mais de dez minutos de duração e diferentes arranjos e evoluções, não é à toa que vários trechos desta divertida música tenham sido usados em tantos desenhos. Já foi tocada no piano por Mickey, Pernalonga, Tom & Jerry, Pica-Pau, e no dueto de Patolino e Donald no longa “Uma cilada para Roger Rabbit”. Nenhuma outra sinfonia foi tão usada por personagens de desenhos animados quanto “Rapsódia Húngara Nº 2”. Divertida e marca carimbada para os desenhos animados, ela fica com a medalha de prata da lista.

Destaque
Pernalonga que me desculpe, mas minha versão preferida, de novo, é a do Pica-Pau. Como esquecer do Pica-Pau enlouquecendo, tentando se livrar de gângsteres enquanto é obrigado a tocar piano sem parar?

Aqui você pode conferir o Pica-Pau na melhor e mais doida performance da “Rapsódia Húngara Nº 2” no episódio “Concerto na marra”, de 1954:
https://www.youtube.com/watch?v=g_FcuyIgI54

Aqui, a “Rapsódia Húngara Nº 2” completa:
https://www.youtube.com/watch?v=goeOUTRy2es


#1 GUILHERME TELL
Recordando. Nas últimas posições do nosso TOP 10 ficaram o alemão Beethoven, o mexicano Rubio e o alemão Brahms. Quase encostando no TOP 5 ficaram o norueguês Grieg e o mexicano Rosas. Quase no pódio ficaram o austríaco von Suppé e o italiano Rossini. Mas que música poderia ser mais versátil do que a melodia dos americanos Cliff Friend e Dave Franklin usada para toda uma séria animada por mais de trinta anos de nosso terceiro lugar, ou mais recorrente do que o segundo lugar do húngaro Liszt, a preferida dos desenhos animados?
Se Peer Gynt nos havia oferecido dois temas musicais que influenciaram até fora dos desenhos, a medalha de ouro desta lista nos ofereceu nada menos do que quatro dos mais famosos e marcantes temas musicais dos desenhos.
Nosso primeiro lugar pertence ao compositor com mais trechos de suas obras adaptados para temas musicais, ele, o italiano Gioacchino Rossini, sim, o mesmo do “Barbeiro de Sevilha”. Rossini contribuiu ainda mais com os temas musicais dos desenhos com a obra desta nossa primeira posição. Não houve composição tão – mas tão – adaptada nos desenhos animados e fora deles quanto a “Abertura de Guilherme Tell”, composta em 1829 para a ópera de mesmo nome. “Abertura de Guilherme Tell”, com seus doze minutos de duração e dividida em quatro seções, é tão expressiva que serviu para vários temas musicais diferentes, comprovando sua versatilidade inquestionável.
Por exemplo, sabe aquele momento triste e reflexivo? Certamente você estará ouvindo a primeira seção, “Prelúdio”. E sabe quando uma forte tempestade chega em um desenho animado, com ventanias e redemoinhos? Certamente você estará ouvindo a segunda seção, “Tempestade”. E sabe quando um desenho mostra o amanhecer em todo seu esplendor bucólico? Se você não estiver ouvindo o já listado “Morning mood”, de Edvard Grieg, certamente você estará ouvindo a terceira seção, “Ranz des vaches”. E agora sabe quando os personagens começam a ficar apressados, em uma competição frenética de velocidade? Certamente você estará ouvindo a galopante quarta seção, “Marcha dos soldados suíços”. Sim, Rossini conseguiu expressar em uma única sinfonia de doze minutos todos esses temas musicais, utilizados amplamente nos desenhos animados por mais de oitenta anos! E por este feito só poderia mesmo merecer o primeiro lugar da lista.

Destaque
Não poderia outro estúdio senão a Disney quem primeiro usaria “Abertura de Guilherme Tell” nos desenhos animados, no curta “O concerto da banda”, de 1935. Este desenho mostra não só Mickey e Donald a cores pela primeira vez, como comprova ainda a genialidade de Disney não só em animar uma multidão de personagens e cenários, mas em inserir em um só desenho as várias seções da “Abertura” e também trechos de vários outros temas musicais que também seriam muito utilizados nos desenhos, como o tema musical caipira “Turkey in the Straw”, e a dancinha egípcia. Tudo isso em 1935.
Walt Disney ganhou nada menos que 22 premiações do Oscar, sendo 12 só em curtas de animação, e é uma surpresa que “O concerto da banda” sequer tenha sido indicado. Mas, aqui, ele merece prestigiar Rossini com a primeira posição.

Para conferir o icônico “O concerto da banda”, de 1935:
https://www.youtube.com/watch?v=pLvnCxVds2c

Para conferir a “Abertura de Guilherme Tell” e as suas quatro seções que influenciaram os desenhos animados para sempre:
https://www.youtube.com/watch?v=xoBE69wdSkQ


E esse foi o meu TOP 10 com os melhores temas musicais de desenhos animados. Noventa anos atrás, a animação se uniu ao som e à música e tem divertido crianças e adultos geração após geração, estimulando nossa imaginação, nosso gosto musical, e, de quebra, nosso humor. Até a próxima, e por hoje é só, pessoal!
Vitor Pereira Jr
Enviado por Vitor Pereira Jr em 15/08/2018
Alterado em 20/08/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras